top of page
  • Foto do escritoroctaEra

Cayarí: Cantora e compositora indígena se torna embaixadora da octaEra

Confira a trajetória da artista desde seu primeiro trabalho musical




Cayarí é a nova embaixadora da octaEra, unindo sua força e representatividade à nossa luta pela proteção das florestas e dos povos originários. Sua conexão com a natureza e suas raízes indígenas trazem uma perspectiva essencial para impulsionar nosso movimento. Juntos, daremos voz às questões urgentes que afetam nosso planeta e as comunidades que dependem dele, abrindo caminho para um futuro sustentável e igualitário.


Cayarí nasceu e foi criada em Vitória da Conquista, na Bahia, e iniciou sua jornada musical aos nove anos de idade, demonstrando desde cedo o talento para cantar e compor. Desde então, dedica sua vida a representar as raízes brasileiras por meio da arte.


Seu início profissional na música foi em 2011, quando montou sua primeira banda de covers. Três anos depois, em 2014, mergulhou de cabeça no mundo do rap, apresentando composições originais em português, inglês e patxohã (idioma tradicional do povo Pataxó).


O ano de 2017 marcou um ponto de virada em sua carreira, adotando o nome artístico Cayarí, que significa “Rio de Cajás”, passou a incorporar elementos como cocares, colares, brincos, grafismos e pulseiras em sua identidade visual. Esses itens, produzidos por artistas indígenas de várias etnias, são parte integrante de sua expressão artística até hoje. Com a ascensão de sua carreira, Cayarí mudou-se para São Paulo em 2018 e começou a se apresentar no cenário musical local. Em 2019 e 2020, colaborou com outros artistas e marcas de destaque na capital, mostrando sua versatilidade.


Em 2022, se aventurou na atuação, demonstrando talento tanto em "A Turma da Floresta Viva", de Augusto Cury, quanto no curta-metragem "Eu quero cantar (Ahnã Tokêrê suniatá)". No ano de 2023, Cayarí juntou-se à família octaEra para apoiar nossa causa na preservação da natureza e cultura dos povos indígenas.


“Procuro cantar sobre meus sentimentos, história de vida. Sobre o fortalecimento das minhas raízes, a causa indígena, a união dos povos e tudo o que pode ser transformado em arte. Tenho muito respeito e cuidado ao falar sobre a luta indígena. Sempre no meu local de fala, meus relatos são feitos a partir de minhas vivências e experiências em aldeias, com parentes de diferentes etnias. A música é a minha genuína e pura forma de expressão”, afirmou em entrevista para o portal Àwúre.


Acompanhe nosso Instagram para conhecer mais o trabalho de Cayarí:


35 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page